skip to Main Content

Rafael Roncato

Nome artístico: Rafael Roncato
Área de atuação: Escritor e fotógrafo
Região: São Paulo /
E-mail: [email protected]
Telefone: (11) 9 6400-7350
Canal Social: https://www.facebook.com/Rafael.Roncato.Fotografia

Rafael Roncato (Indaiatuba, SP, 1989) é fotógrafo e artista visual que vive e trabalha em São Paulo. É graduado em Jornalismo Multimídia pela FACAMP, em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e pós-graduado em Cinema, Vídeo e Fotografia pela Universidade Anhembi Morumbi e também em Fotografia pela FAAP. Atualmente pesquisa e trabalha no campo da fotografia, produção editorial e vídeo ao ser Diretor de Fotografia do programa Fluxo de Consciência, apresentado pelo escritor Ronaldo Bressane. Seu projeto Adágio, um nu da cartunista Laerte Coutinho, já participou de mostras individuais e coletivas, além de integrar o primeiro documentário brasileiro original Netflix, Laerte-se, com direção de Lygia Barbosa da Silva e Eliane Brum. Em 2016, publicou seu primeiro fotolivro sobre o vazio, Sunyata, resultado de sua pós-graduação pela FAAP e ganhador do prêmio de livro de artista do 5º Salão de Outono da América Latina.

Publicações do Autor(a)

Sunyata

Editora: SP
ISBN:
Ano de Publicação: 2016
Dimensões: x cm
Nº de Páginas: 72
Acabamento:

Sinopse: Me aproprio do conceito de vazio para pensar um modo de fotografar por meio da errância, compondo relações entre fotografia e mundo. Tal qual o ato de lançar-se em um mar de incertezas, o livro Sunyata é uma experiência sobre a vacuidade esbarrando em questões como impermanência, interdependência, além do fluxo de formas, sensações e percepções, onde o “eu” não passa de uma unidade artificial criada pela mente. Sunyata (sânscrito) é frequentemente traduzida como vazio ou, mais precisamente, vacuidade. O vazio é uma característica inerente aos fenômenos: nada possui uma existência independente, uma identidade essencial. O que se insere na vida se despe de uma identidade absoluta, sendo tudo impermanente, inter-relacionado e interdependente, de tal modo que nada é totalmente autossuficiente ou destacado do todo. Todas as coisas são dinâmicas em um estado de constante fluxo. O que é o vazio, senão uma potência infinita?

Barathrum

Editora: Independente
ISBN:
Ano de Publicação: 2014
Dimensões: x cm
Nº de Páginas:
Acabamento:

Sinopse: Ruína; decadência; queda; caos; escuridão; mistério; báratro; tragadouro da perdição, onde martírio e decadência encontram as trevas. Abismo que é vórtice do caos e submundo do próprio inferno. “Barathrum” está na linha tênue entre ficção e realidade, medo e delírio; consciência e subconsciente. Desejos e ações que levam a lugares nunca antes imaginados; ou à perdição em companhia de outros corpos e mentes moribundas. Seria, então, uma condição criada e vigiada por nós mesmos no eterno labirinto da mente?

Back To Top